10 de setembro - Antes de julgar, é melhor perguntar

September 10, 2017

Por volta dos três a quatro anos de idade a criança se desperta para a curiosidade da vida. Ela quer entender como as coisas funcionam e entram na famosa fase de perguntar sobre tudo, a toda hora. Questionam repetidamente, emendam um “por que” atrás do outro e costumam ouvir as explicações com atenção e humildade.

No entanto, a partir da fase da adolescência muitos mudam este comportamento e passam a estabelecer as suas próprias conclusões sobre a vida. Opostamente passam a falar demais e a ouvir de menos.

Para termos uma família abençoada, precisaremos ter atitudes de sabedoria dentro do nosso lar e uma delas é perguntar antes de tirar conclusões precipitadas.

Jesus teve este padrão de comportamento em seus relacionamentos. Ele normalmente se dirigia às pessoas com perguntas e as escutava com muita atenção. Vejamos alguns exemplos:

 

Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? Respondeu ela: Ninguém, Senhor! Então, lhe disse Jesus: Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais. (Jo.8:10)

 

Perguntou Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes outros? Ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. (João 21:14)

 

Ele insistiu: “E vocês? Quem acham que eu sou?”.

Pedro declarou: “Tu és o Cristo, o Messias” (Marcos 8:29)

 

Que tal antes de tirar conclusões negativas dentro de casa, ouvir as pessoas envolvidas e perguntar o porquê de determinada atitude?

Se você tem passado situações desagradáveis com algum familiar, converse, pergunte, ouça, volte a ser uma simples criança neste sentido. A sua atitude além de refletir humildade, poderá resolver a situação com sabedoria e paz!